domingo, 30 de junho de 2013

Murillo La Greca recebe workshop de Adriana Aguiar


Reflexos unem ser e natureza em exposição fotográfica de Marcus Brandão

Marcus Brandão - Opus
De 04 a 26 de julho, sempre às 19h30, a Aliança Francesa do Recife receberá, em sua Unidade Derby, a Exposição Fotográfica “Réflexions Chantelloises Opus 10”, de Marcus Brandão. A mostra revela a paixão do fotógrafo pernambucano, residente na França, pela mistura captada pelos reflexos, capazes de unir ambiente, objetos e pessoas em uma singular e encantadora realidade. Serão 15 fotografias em exposição até o fim de julho, com entrada franca.

Com seu equipamento em mãos, Marcus Brandão capta a profunda unidade dos ambientes e entrelaça-os em uma nova dimensão: o bailarino torna-se árvore, os cabelos são o vento, a grama abraça as nuvens. Toda a magia sem alteração no computador, as imagens são exatamente o que Marcus Brandão fotografa. Uma percepção diferenciada do mundo que observamos.

Nascido em Recife, Marcus Brandão mudou-se para a Europa aos 20 anos para estudar. Apaixonou-se pela fotografia na Alemanha, mas foi na França que o fotógrafo adquiriu e aprimorou suas técnicas. Já sua inspiração está no mundo e nas paisagens que reinventa. Conheça o trabalho de Marcus Brandão no site www.marcusbrandao.fr.

Serviço
Exposição Fotográfica “Réflexions Chantelloises Opus 10”, de Marcus Brandão
Local: Aliança Francesa Derby (Rua Amaro Bezerra, 466)
Data: 04 a 26 de julho
Entrada gratuita
Mais informações no telefone 3202-6262.

Oficinas malucas no La Greca


sábado, 29 de junho de 2013

Workshop para crianças e famílias no La Greca


Clube 17 com o CNA Recife e Olinda apresentam ‘Animals Around the world’



É hora de se divertir com a turma do CNA, no Clube 17, no dia 5 de julho. Vai ser um dia repleto de atividades legais, nas quais os teachers vão ensinar à garotada os animais em inglês e de que países eles vem, sempre de uma forma divertida e lúdica. Além de aprender os animais em inglês, as crianças vão participar de um montão de games educativos. Vamos embarcar juntos nesse safari around the world! Aberto ao público. Inscrições na recepção do Clube 17. Mais informações: Avenida 17 de Agosto, 2613. Telefone: 3033-1717 / www.clube17.com.

Teatro de Fantoches no Clube 17


No próximo dia 30, às 11h e 16h, o Clube 17, em Casa Forte, abre as portas para a criançada, gratuitamente, com o teatro de fantoches Misack, que contará a fábula da Cigarra e da Formiga.

Traquejo vence o 29º Festival de Quadrilhas


A Quadrilha Junina Traquejo, da cidade de Gravatá, foi a grande vencedora do     29º Festival de Quadrilhas Juninas Adulto do Grupo 1. Com o tema “Quem canta seus males espanta”, o grupo junino disputou a final com outras 11 equipes no Ginásio da Secretaria Estadual de Educação, nas noites desta quinta (27) e sexta-feira (28), levando como premiação R$ 10 mil. O 2º lugar ficou com a Raio de Sol, de Olinda, que garantiu R$ 7 mil e em 3º lugar ficou a Dona Matuta, que vai receber R$ 5 mil.

As Quadrilhas Juninas Tradição e Pisa no Espinho ficaram com o 4º e 5º lugar, respectivamente e também receberão prêmios em dinheiro. Além da recompensa financeira, o mérito de cada uma também foi reconhecido na distribuição dos troféus. O presidente e coreógrafo do grupo campeão, Wanderson José, explicou a escolha do tema. “Nosso desejo era mostrar que a música evidencia vários sentimentos, como a fé, a alegria e a tristeza. Há cinco anos somos finalistas, merecemos o 1º lugar”, desabafou.

A secretária de Cultura do Recife, Leda Alves, prestigiou a apresentação das finalistas exaltando o valor das quadrilhas juninas como forma de organização popular. “O importante nos grupos juninos de hoje é a apropriação do povo do processo de organização das quadrilhas. As pessoas descobrem profissões, é uma experiência de vida em comum que mobiliza a juventude”, declarou.

Para o coordenador do concurso, Albemar Araújo, o papel das quadrilhas ultrapassa a apresentação do folguedo. “A dança não se resume à apresentação folclórica, envolve uma sociabilização entre os integrantes, é uma afirmação de cidadania”, ressalta.

As eliminatórias do Grupo 1 aconteceram no dia 22 de junho, nos arraias montados em San Martin, Ibura, Peixinhos e no Sítio Trindade. Foram 24 grupos inscritos e 12 deles passaram para a fase final.

Neste sábado (29), serão conhecidas as quadrilhas vencedoras do Grupo 2 do Festival. As apresentações acontecem no Ginásio da Secretaria Estadual de Educação, na Várzea, a partir das 16h.

Vencedoras do 29º Festival de Quadrilhas Juninas - Grupo 1:
1º lugar: Traquejo
2º lugar: Raio de Sol
3º lugar: Dona Matuta
4º lugar: Tradição
5º lugar: Pisa no Espinho

Bandeiras dos Santos Juninos desfilam pelas ruas do Centro do Recife


Sob o olhar atento das pessoas que circulavam pelo centro do Recife no fim da tarde desta sexta-feira (28), o Desfile das Bandeiras dos Santos Juninos percorreu as ruas dos bairros da Boa Vista e de São José pelo vigésimo ano consecutivo. O cortejo saiu da Igreja da Boa Vista, passando pela Rua da Imperatriz, Rua Nova e Av. Dantas Barreto, até chegar ao Pátio de São Pedro, onde cada uma das 15 bandeiras participantes fez evoluções diante do palco.

"Nunca havia assistido. Para mim foi uma surpresa. Já vou chegar em casa em clima de São Pedro", disse a vendedora Margarida de Lima, que acabava de sair do trabalho. Além das bandeiras, o Desfile contou com a participação de sete bandinhas juninas, um trio pé de serra, duas quadrilhas juninas e a Forrovioca, que animou a concentração.

Um dos homenageados do São João do Recife 2013, o bailarino e coreógrafo Mika Silva, acompanhou o cortejo. Ele destacou a importância do apoio municipal à tradição das bandeiras juninas. "Em 1992 montei o espetáculo de dança Bandeiras de São João e no ano seguinte fui convidado pela Prefeitura para participar da criação do Desfile. Por isso é uma alegria muito grande ver que essa tradição se mantém por meio do compromisso dos que fazem a política cultural na cidade", disse Mika.

Entre as bandeiras que desfilaram, uma das mais antigas é a Bandeira de São João da Várzea, criada há 21 anos. Diferentemente do secular Acorda Povo, que saía de madrugada, a bandeira sai pelo bairro sempre às 20h, na véspera de São João. "Somos uma bandeira familiar, as crianças participam, então saímos mais cedo", explica a professora Antonieta Ferreira, responsável pela bandeira. "Apesar de ser organizado pela família, tornou-se algo muito esperado no bairro", conta.

Já a Bandeira de São João O Bonde surgiu em 1989 a partir do bloco lírico homônimo. O presidente, Cid Cavalcanti, conta que quando a bandeira foi criada, para desfilar no bairro da Imbiribeira, a tradição do Acorda Povo estava praticamente extinta. "É preciso dizer que uma das grandes responsáveis pela retomada da tradição das bandeiras juninas foi a professora Cirinéia Amaral, da Universidade Federal de Pernambuco. Visitamos escolas e chegamos a fazer oficinas sobre estas manifestações populares. Tudo isso acho que é reflexo dessas iniciativas", avalia.

SHOWS - Após a apresentação das bandeiras juninas na chegada ao Pátio de São Pedro, o público presente formou uma grande roda para dançar ao som de Santino Cirandeiro e seu grupo, da cidade de Nazaré da Mata. A noite teve ainda as quadrilhas juninas Lumiar e a infantil Beija Flor, além dos shows do Coco Besouro do Mangangá, do bairro do Ibura, e do forrozeiro Carlinhos Monte Verde.

Santanna, O Cantador, levou muito forró e romantismo ao Sítio Trindade


A véspera do Dia de São Pedro foi pra lá de animada no Sítio Trindade. O público se esbaldou nas comidas típicas, como canjica, pamonha, milho e maçã do amor nesta sexta-feira (28). No palco, muito forró fez lotar o Arraial do São João Torcida Recife 2013 – promovido pela Prefeitura da Cidade. A música ficou por conta da Banda Segnos, Raminho do Acordeon, Zé Matuto do Forró e a atração principal da noite, Santanna, O Cantador.

A Banda Segnos, composta só por deficientes visuais, fez a abertura da noite. Zabumba, sanfona e triângulo se juntaram e, somados à sensibilidade e animação dos artistas, emocionaram o público. O cantor, Sivonaldo Teodoro, elogiou a festa e fez questão de agradecer. "Adorei tocar nessa festa, gostaria de cumprimentar ao prefeito Geraldo Julio e à secretária de Cultura, Leda Alves, pela oportunidade e pelo São João maravilhoso", falou.

Em meio às matutas e matutos improvisados para o período junino, um casal chamou a atenção do público. Annelise Valença e Apolônio Oliveira são casados e adoram o São João. Eles, que curtiram o período frequentando, durante o mês de junho, o Pátio de São Pedro e o Sítio Trindade, estavam maravilhados com a estrutura e a qualidade da programação de 2013. "Está tudo excelente, não poderia estar melhor. Hoje, viemos para ver Santanna, mas já curtimos muito forró durante o mês todo. Já dançamos muito e vamos dançar ainda mais até o sábado", comentou a professora, com um sorriso no rosto.

Cantor e compositor cearense, Santanna, O Cantador, é sucesso em todo o Brasil e já embalou milhares de corações no ritmo do forró. Canções como "Vontade", "Ana Maria", "Me dá meu coração", "Tamborete de forró" e "Mensageiro Beija-flor" colocaram o público para dançar e deixaram o romantismo tomar conta da pista de dança. A recepcionista Ana Paula Silva estava à procura de um par perfeito para a dança e uma boa paquera. "Ouvindo essas músicas lindas, a vontade de arrumar um pretendente só faz aumentar. Estou ansiosa", confessou.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Centro Sabiá comemora seus 20 anos com muito forró



O Centro Sabiá, que atua com famílias agricultoras agroflorestais em todo Estado, vai comemorar seus 20 anos de atuação com muito forró e cantoria nas duas feiras livres que coordena no Recife. A festa na Feira das Graças (por trás do Colégio São Luiz) será no dia 6 de julho. Já a de Boa Viagem será na Praça Julis Rimet, Primeiro Jardim, no dia 13 de julho. A programação festiva é uma parceria do Sabiá com a Fundarpe, por meio do Projeto Cultura Livre nas Feiras.

Júlio Morais canta Luiz Gonzaga e Gonzaguinha

Júlio Morais apresenta neste sábado (29), em Bom Conselho, seu projeto Estampa com releituras de músicas do mestre Luiz Gonzaga e Gonzaguinha. Participam do show Romero Brito e Carlos Ferrera.

Da união de quatro jovens e talentosos artistas, capitaneados pelo cantor e compositor Júlio Morais, que vem marcando forte presença no mercado musical pernambucano, nasce o projeto Estampa. Júlio Morais (voz, violão e guitarra) acompanhado por uma banda composta por bateria, baixo, teclado e saxofone, tem como foco exercitar um olhar próprio sobre a obra de um determinado artista e trabalhar em prol de novas percepções sonoras, produzidas através de seus arranjos, que fogem de um imaginário coletivo e de um lugar comum. O show é intitulado ‘Gonzagas: Um tributo a dois Luízes’.

Serviço:
ESTAMPA - Júlio Morais canta dois Luízes.
Homenagem a Luiz Gonzaga e a Gonzaguinha.
Participação: Carlos Ferrera e Romero Brito.
Bom Conselho - Agreste de Pernambuco
29 de Junho - 21h, no Parque Delamário Borba

SoundCloud do Projeto ESTAMPA:

Tradição e espetáculo na primeira noite das finais do Festival de Quadrilhas


O público lotou as arquibancadas do ginásio da Secretaria Estadual de Educação, no bairro da Várzea, nesta quinta-feira (27), para a primeira noite das finais do 29º Festival de Quadrilhas Juninas, promovido pela Prefeitura do Recife. Apresentaram-se as quadrilhas Raio de Sol (Águas Compridas), Tradição (Morro da Conceição), Lumiar (Pina), Zabumba (Camaragibe), Terror do Alto (Moreno) e Traque de Massa (Águas Compridas). A campeã será conhecida nesta sexta-feira (28), na segunda e última noite de apresentação das finalistas do Grupo 1.

Na plateia, além do público em geral, muitos familiares e amigos dos quadrilheiros, como a estudante de enfermagem Eloína Ângela, de 21 anos. Moradora do bairro de Beberibe, ela fez parte da quadrilha Raio de Sol de 2006 a 2010, mas nos últimos anos teve que se afastar em razão dos compromissos com a faculdade. "Sinto muita falta, mas espero voltar no próximo ano, quando termino o curso", disse, vestida com a jaqueta da quadrilha. Atual campeã, a Raio de Sol apresentou-se este ano com 120 integrantes e o tema: "Bumba meu boi bumbá, pra contar e pra dançar".

Eloína conta que os ensaios para o São João começam entre os meses de setembro e outubro. No período junino, a Raio de Sol chega a fazer mais de 50 apresentações. "Quanto mais a quadrilha ganha, mais dança", diz ela, que, na primeira noite das finais, não assistiu a todas as concorrentes porque ainda acompanharia a Raio de Sol em outros dois arraiais pela cidade.

Fim de Semana Cultural

Sexta-feira (28)

Feiras e Eventos

QueroQuero promove arraial para as crianças do Coque
Nesta sexta-feira (28), o Projeto QueroQuero, braço social do Sistema Hapvida Saúde, promove um animado arraial, em sua sede no Coque. Este ano, o homenageado será o Rei do Baião, Luiz Gonzaga. A abertura fica por conta do Grupo Cultural QueroQuero, que apresentará “A Dança do Xaxado”. Haverá brincadeiras de pescaria, argola e balões surpresa, com distribuição de brindes. Barracas juninas serão montadas com comidas típicas e cachorro quente. Para encerrar, a Quadrilha QueroQuero fará a animação da criançada com muita tradição. O evento será das 14h às 17h. Atualmente, o Projeto QueroQuero atende 150 crianças carentes com atividades de arte e educação.

Serviço:
Arraial do Projeto QueroQuero
Data: 28/06 – sexta-feira
Horário: Das 14h às 17h
Local: AV. Martin McLuther King, 100 – Coque

Música

Almir Rouche.
Foto: Divulgação
Almir Rouche se apresenta na Festa de São João de Igarassu
Dentro das festividades juninas, o cantor pernambucano Almir Rouche será a grande atração da festa de São Pedro do município de Igarassu, nesta sexta (28), a partir das 22h, no Sítio Histórico da cidade. O evento conta ainda com as bandas Rala Coco Maria e Toque Nordestino. O evento é gratuito.

No repertório, hits como “A Natureza das Coisas”, “Tudo outra Vez”, “Parte da minha Vida”, “Fácil de Entender”, “Se tu Quiser”, etc. O Sítio Histórico fica na Rua Frei Caneca, nº 46, Igarassu - PE. Mais informações pelo telefone 9757–4175.

Tour garante roteiro por obras de Cícero Dias

O Passeio de Sensibilização Turística que acontece nos próximos sábados, dias 29 de junho e 6 de julho, conta com um roteiro especial. O projeto, realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer, faz uma homenagem ao pintor modernista e pernambucano Cícero Dias (1907-2003). Ele, que foi um dos pioneiros do modernismo no Brasil, possui obras que estão espalhadas pela cidade.

Serão visitados locais como o prédio da Secretaria da Fazenda de Pernambuco, onde existem três painéis feitos pelo artista, incluindo o primeiro mural abstrato da América Latina. A visita também conta com uma passagem pelo Museu do Estado de Pernambuco, onde os participantes poderão conhecer a seção Cícero Dias, que guarda diversas obras do artista.

A Casa da Cultura também está no roteiro, pois lá estão os painéis feitos por ele que retratam a vida de Frei Caneca. O percurso é encerrado na “Rosa dos Ventos”, no Marco Zero. A obra do artista tem como objetivo descrever a origem do mundo a partir do Recife, inspiração na famosa frase dele: “Eu vi o mundo... Ele começava no Recife”, cravada no monumento.

O passeio tem a Praça do Arsenal como ponto de partida, às 14h. Para participar, é necessário se inscrever na sexta-feira que antecede o projeto, a partir das 8h, pelo telefone 3355-8605.

Ultimas apresentações do projeto Movimentos Coletivos

O projeto Movimentos Coletivos se despede do Teatro Joaquim Cardozo com apresentações nesta sexta (28) e sábado (29). 
Composto por três trabalhos apresentados alternadamente, que trazem alguns resultados das últimas pesquisas desenvolvidas pelos artistas do Coletivo Lugar Comum e seus colaboradores. Solo para várias vozes é como uma voz em rascunho, na busca de suas possibilidades além da fala e do canto. Neste solo, a voz é acompanhada por si mesma, desdobrando-se no espelho dos próprios sons. Improvisões é a arte de Improvisar com som e movimento, o que significa reconhecer que esta dualidade é falsa, já que som é movimento e vice-versa. Já o De cordas, faixas e metal, trata-se de um solo que aborda a palavra muda no corpo e a impossibilidade de mover.


Serviço:                    
Movimentos Coletivos
Mostra de trabalhos do Coletivo Lugar Comum e artistas parceirosSexta (28) e Sábado (29) às 20h
Teatro Joaquim Cardozo (Rua Benfica, 157, Madalena)
R$20 e R$10 (meia)
Informações: 32270657 | 32260423

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Jogos finais da Copa das Confederações no Recife Antigo de Coração

A população poderá assistir aos jogos finais da Copa das Confederações, neste domingo (30), em um telão que será montado na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife. A exibição marcará a 4ª edição do projeto Recife Antigo de Coração, que garante a abertura do bairro para a prática esportiva, além de promover lazer, entretenimento e atividades lúdicas para pessoas de todas as idades. O primeiro jogo a ser exibido será às 13h e o seguinte às 19h. Brasil, Espanha, Itália e Uruguai são as Seleções finalistas.

O Recife Antigo de Coração é realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer. Além da exibição de jogos, o projeto vai seguir com a sua principal característica que é de proporcionar uma programação para toda a família. A expectativa da Secretaria de Turismo e Lazer é de que pelo menos 5 mil pessoas circulem pelo bairro, entre às 8h e 22h, aproveitando os três polos oferecidos: Infantil, Esportivo e Cultural.

O Marco Zero e as ruas adjacentes será o espaço destinado ao Polo Cultural. Ainda no clima do São João, das 16h às 18h, o próprio Marco Zero irá receber um trio de forró e a quadrilha junina de bonecos gigantes. Na parte da manhã, das 10h até ao meio-dia, acontece a apresentação do grupo musical Conxitas.

Rodrigo Raposo será a grande atração da festa junina de Barreiros

Rodrigo Raposo. Foto: Divulgação
O cantor e jornalista Rodrigo Raposo será a grande atração da festa junina do município de Barreiros, nesta quinta-feira (27). O show intitulado “São João Arroxado de Bom”, acontece no Pátio de Eventos Santa Terezinha, área central da cidade, a partir das 21h. A banda Floro Júnior (trio pé de serra) também se apresenta. O evento é gratuito.

O repertório do show de Rodrigo será baseado no seu novo DVD intitulado “Plante e Reggae”, lançado recentemente no Imprensa no Forró, além de releituras de músicas como “Sobradinho”, “I Wanna Love You”, de Bob Marley e demais hits do autêntico forró pé de serra. O município de Barreiros está localizado a 102 km da capital pernambucana. Mais informações pelo telefone 8820-1386.

Embaixador do forró pernambucano lança novo CD neste sábado (29)

Ivan Ferraz. Foto: Wellington Dantas
Ivan Ferraz faz o lançamento oficial do CDC 'Coletânea – 20 arrasta-pés e marchas juninas’ e realiza um esquenta na Casa da Rabeca, às 21h, desta sexta (28)

Pernambucano de Floresta, Ivan Ferraz, há muito tempo, é um nome consagrado da música regional nordestina, sobretudo quando se fala de forró pé de serra, o legítimo, o autêntico. Essa consagração não é apenas pelo que compõe, canta e declama nos discos e apresentações, mas também pelo trabalho de incentivo à nossa cultura que ele realiza há algumas décadas. Tudo feito com amor e afinco, com perseverança e, claro, sucesso. Poucas pessoas têm lutado tanto em defesa da música nordestina como ele. Nesta sexta-feira (28), a partir das 21h, o cantor participa do São Pedro da Casa da Rabeca, na Cidade Tabajara, em Olinda. No sábado (29), a partir das 13h, no Espaço Cultural Dominguinhos, no Engenho do Meio, faz o lançamento oficial do seu novo CD 'Coletânea – 20 arrasta-pés e marchas juninas’.

Na Casa da Rabeca, na Cidade Tabajara, em Olinda, Ivan Ferraz realiza o show 'Juventude no forró'. “Esse é um show voltado para pessoas de todas as idades, principalmente, para a juventude. Quero mostrar que o forró não precisa ser aquele ritmo antigo, mas não pode perder a sua essência. Por este motivo, temos instrumentos como cavaquinho, baixo, percussão, sanfona, zabumba, triângulo e pandeiro. Assim, frisamos a importância de preservar o forró.”

Já no CD, Ivan Ferraz, conhecido como Embaixador do Forró por causa da sua luta em favor da música e dos artistas, canta ao lado de Dominguinhos uma música inédita de Bráulio de Castro e que foi intitulada de Festa de rua. Na coletânea, outras canções ganham destaque como Flor rainha (José Marcolino), Céu brilhante (Heleno Ramalho) com participação de Flávio José, Bananeira mangará (Janduhy Finizola) com participação de Genaro e Walkíria Mendes, além de Segura o bode (Correia e Ivan Ferraz). O trabalho independente do cantor e compositor custa R$ 10 e estará à venda no Espaço Cultural Dominguinhos. “Esse CD reúne diversas músicas que gravei no decorrer da minha caminhada musical. Apesar de ser lançado em um período festivo, o álbum vai ficar para a história da música nordestina”, explica Ferraz.

Nos meses de julho e agosto deste ano, Ivan Ferraz reserva novos lançamentos. “Estamos trabalhando com um CD onde declamo diversos poetas da roça e também um trabalho inovador que envolve o samba e o forró”, adianta. Diariamente, o artista e apresentador divulga no programa Forró, Verso e Viola, da Rádio Universitária FM do Recife, o trabalho de artistas renomados e outros ainda nem tanto. Esse incentivo que Ivan Ferraz dá, desde o tempo em que começou o seu programa na TV Pernambuco, tirou nomes do anonimato, levando-os ao grande público. Soma-se, ainda, em seu currículo nove LPs e nove CDs.

Serviços:

Ivan Ferraz na Casa da Rabeca com o show 'Juventude no forró'
Nesta sexta-feira (28), a partir das 21h
Rua Curupira, 340 - Cidade Tabajara - Olinda
3371-8197
Entrada: 1Kg de alimento não perecível ou água potável

Lançamento oficial do CD ‘Coletânea – 20 arrasta-pés e marchas juninas’
No sábado (29), a partir das 13h
Local: Associação dos Servidores da Sudene/ Espaço Cultural Dominguinhos (Rua Lindolfo Collor, s/n, Engenho do Meio)
Entrada: R$ 10 (valor único)

Valor do CD: R$ 10

Pescadores de Brasília Teimosa se preparam para a Buscada de São Pedro

Neste sábado (29), a partir das 14h, a comunidade de pescadores de Brasília Teimosa realiza por mais um ano a Buscada de São Pedro, tradicional procissão terrestre e marítima em homenagem ao "santo pescador", que encerra o ciclo junino. O presidente da colônia de pescadores Z-1, Augusto de Lima, o Neno, conta que o evento acontece há mais de 50 anos e mobiliza toda a comunidade, não somente os pescadores. "Além das pessoas da cadeia produtiva da pesca, temos a participação das beatas da comunidade e de pessoas de fora. É uma festa ecumênica, que já faz parte do calendário cultural e religioso do Recife", diz.

São esperados cerca de 40 barcos de pesca, além de lanchas de marinas próximas que também prestigiam o evento. "Quando começou tínhamos apenas algumas jangadinhas e barcos à vela, hoje são todos barcos motorizados". lembra Augusto. A procissão com o andor da imagem de São Pedro sairá da capela para um percurso terrestre de cerca de 2,5 km pelas principais ruas da comunidade. Ao chegar à Vila da Praça, a imagem é embarcada. Fiéis aproveitam para fazer seus pedidos, pagar promessas e trazer ex-votos. O cortejo marítimo segue então até o Porto do Recife, retornando pelo mesmo percurso de volta à capela, com chegada prevista por volta das 17h.

As homenagens ao santo padroeiro dos pescadores, porém, começam mais cedo em Brasília Teimosa, com uma queima de fogos, logo às 6h. Em seguida, às 8h, será celebrada uma missa campal pelo pároco da comunidade, no palco montado ao lado da Capela de São Pedro. Após a procissão, tem início uma programação cultural com quadrilhas juninas e grupos artísticos locais. O encerramento da noite ficará por conta da veterana forrozeira Terezinha do Acordeon, que toca às 23h. Na sexta-feira (28), as apresentações no Arraial Brasília Formosa começam às 18h30, com grupos locais, quadrilhas juninas e a cantora Michele Monteiro.

HISTÓRICO - A Buscada de São Pedro em Brasília Teimosa acontece há mais de 50 anos. Segundo os pescadores locais, a celebração teve início por iniciativa de um pescador chamado Assis, que assistiu a mesma homenagem ao santo no Rio de Janeiro e resolveu trazer a tradição para Pernambuco. Nos primeiros anos, a reverência a São Pedro era feita em jangadas. A Colônia Z-1, de Brasília Teimosa, possui mais de 2 mil pescadores registrados, incluindo cerca de 500 mulheres que participam da atividade pesqueira como catadoras de mariscos, beneficiadoras ou revendedoras de pescados.

PROGRAMAÇÃO
ARRAIAL BRASÍLIA FORMOSA

Últimos dias da temporada de "As confrarias" no Teatro Barreto Júnior

Fotos: Hans von Manteuffel
O espetáculo "As confrarias", da Companhia de Teatro Seraphim, encerra sua temporada neste domingo (30), às 20h, no Teatro Barreto Júnior, no Pina, Zona Sul do Recife. A peça, uma adaptação do texto do dramaturgo Jorge Andrade, conta a história de Marta, uma mãe que luta para conseguir enterrar o filho, José, no final do século XVIII, período da Conspiração Mineira. A partir desse drama da mãe, que passa a percorrer igrejas para tentar fazer parte de alguma confraria e enterrar José, questões ligadas ao preconceito, racismo e identidade são reveladas de forma sutil pelo espetáculo.

"Marta acaba desmascarando essas confrarias, que negam seu pedido por qualquer motivo, como o fato do filho ser ator, e naquele momento ser ator era pior do que ser negro. A peça acaba fazendo um grande louvor ao teatro, mostrando como ele é importante para que a sociedade conheça a si própria", explica o diretor Antonio Cadengue. De acordo com Cadengue, o espetáculo tem como pano de fundo a questão das confrarias, que são estrutura de poder e suporte dentro das igrejas para o estado. Nessa época não existiam cemitérios públicos, e as pessoas eram enterradas em igrejas ou no entorno delas. "O morto ou a família dele precisavam ser ligados a alguma confraria. E Marta e o filho não eramligados a nenhuma", conta.

Segundo Lúcia Machado, que interpreta Marta, a montagem dá continuidade a um projeto da Cia. - Trilogia Brasileira, concebido em 1992/93, que incluía "As confrarias", de Jorge Andrade; "A Morta", de Oswald de Andrade; e "Senhora dos Afogados", de Nelson Rodrigues, que a Cia. montou em 1993, e teve uma carreira bastante exitosa. "Quanto à escolha de "As confrarias", na época lemos muitos textos, eu, Antonio e Marcus Vinícius; de imediato, apaixonei-me pelo texto de Jorge Andrade, pela sua temática, pela sua carpintaria teatral, e, sobretudo, pela figura de Marta. Desde então, essa figura de mãe me instiga. E quando se cogitou a retomada dos trabalhos da Cia. para mim, principalmente, só a fortaleza de uma Marta conseguiria me impulsionar, me desafiar, me virar pelo avesso", explica.

Já Brenda Lígia, uma representante da etnia negra no espetáculo junto com os atores Alexsandro Marcos e Gilson Paz, pontua que o marcante do espetáculo é a universalidade de seus temas: a montagem dialoga com todos os públicos, de todo e qualquer nível sociocultural. "É um texto extremamente atual, com a ressalva de se passar no século XVIII, em Minas Gerais, mas que, por ressonância, chega à nossa contemporaneidade, seja porque a peça trata da justiça, da liberdade, da igualdade, do racismo, dos impostos exorbitantes que a Coroa portuguesa, exigia do Brasil e que por eco vemos o quanto estamos ainda a pagar altos impostos, dízimos ao Estado, embora não mais a Igreja (pelo menos a Católica)."

Serviço:
Fim da temporada de "As confrarias"
De quinta-feira (27) até domingo (30), às 20h
Teatro Barreto Júnior
(Rua Estudante Jeremias Bastos, Pina)
Informações: 3355-6398
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia)
Faixa etária: 16 anos
Duração: 1h30

Último final de semana para ver os solos e improvisos do projeto Movimentos Coletivos no Teatro Joaquim Cardozo

Letícia Damasceno. Foto: Hércules Dias
O projeto Movimentos Coletivos se despede do Teatro Joaquim Cardozo (Rua Benfica, 157, Madalena, Recife/PE) com apresentações nesta sexta (28) e sábado (29). Depois de “ocupar” o teatro por todo o mês de junho, o grupo artístico Coletivo Lugar Comum realiza as últimas intervenções da temporada em ambos os dias a partir das 20h.

Nesta sexta (28) o público poderá conferir a intervenção artística Improvisões, que esta semana levará ao palco a bailarina Liana Gesteira, do Lugar Comum, em diálogo corporal com o performer e cantor Cyro Morais e com a bailarina Renata Muniz, além do artista convidado Caio Lima, vocalista do grupo Rua do Absurdo. A noite também trará o solo/performance Solo para várias vozes, do músico, performer, professor e pesquisador Conrado Falbo. No sábado (29) tem Solo para várias vozes mais uma vez e também a performance De cordas, faixas e metal, da dançarina e professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Faculdade Angel Vianna, Letícia Damasceno. Improvisões traz um jogo cênico focado na improvisação, utilizando som e movimento na proposta de “quebrar” o conceito de dualidade entre eles, já que som é movimento e vice-versa.

Solo para várias vozes apresenta uma voz em rascunho, na busca de suas possibilidades além da fala e do canto. Neste solo, a voz é acompanhada por si mesma, desdobrando-se no espelho dos próprios sons. Foi desenvolvido pelo artista Conrado Falbo a partir da pesquisa prática que vem realizando junto aos demais artistas ocupantes do Coletivo Lugar Comum (Recife, PE) sobre as possibilidades da voz e do corpo em performance, e da pesquisa teórica sobre voz, palavra e performance, realizada no âmbito do doutorado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Já a performance De cordas, faixas e metal aborda a palavra muda no corpo, a impossibilidade de mover. No solo de Letícia, a memória do movimento reverbera em voz do movimento, em dança que transborda em som. A mesma corda que aprisiona é também a corda que vibra em voz encarnada na poética do corpo, em diálogo com a poesia de dois grandes Manoéis: o de Barros e o nosso Bandeira.

Serviço:                   
MOVIMENTOS COLETIVOS
mostra de trabalhos do Coletivo Lugar Comum e artistas parceiros
Sexta (28) 3 Sábado (29) às 20h
Teatro Joaquim Cardozo (Rua Benfica, 157, Madalena)
R$20 e R$10 (meia)

Informações: 3227-0657 / 3226-0423